quinta-feira, 3 de julho de 2014

CRÔNICAS DO TORCEDOR - QUEM NASCEU PRIMEIRO A NOTÍCIA OU O JORNAL NACIONAL?

O colunista Veríssimo do jornal Gazeta do Povo em sua coluna de hoje, fala do ócio da falta de assunto na entressafra do cotidiano das copas. Ele se lembra que na copa da Alemanha, logo no início, em que todos já haviam chegado mas a bola ainda não havia rolado e as especulações já tinham dado o que tinha que dar. Ele se pega falando em sua coluna sobre morangos. Só parou de escrever sobre a saborosa fruta, depois que a redação em um sutil comentário o traz de volta a realidade. Tempos depois, ele descobre que não apenas ele, mais outros jornalistas também estavam falando da plantação de morango que havia nas proximidades do hotel onde estavam. 
Folheando os jornais de hoje e ouvindo o rádio, vejo que nessa entressafra de morangos, eles deram lugar a a outras plantações mostrada ontem no Jornal Nacional, que são a velocidades dos jogadores, os grandes goleiros e as maravilhas tecnológicas da FIFA. Todos os meios de comunicações de massa hoje abordam os mesmos temas, gráficos são apresentados nas telas impressas e estatísticas ecoam nos alto-falantes dos carros. Na falta de notícias e eu me pego lendo Veríssimo.
Concordo com ele quanto ao rugby ser um esporte bruto, quase violento mas descordo se falar de política é falta.
Enquanto a bola não rola, a Globo toca a bola, dá o tom da crítica  e define o espetáculo. A imprensa independente, pelo que me parece, carece de ideias originais e como em outras épocas e sempre pelo visto, ficará na posição muito comoda de dar a notícia. Todas as seleções estão trabalhando forte para os jogos que seguem, mas a Globo acha que esta tudo bem e que o Felipão esta sendo coerente. 
Vai faltar morango depois da eliminação.
 

quarta-feira, 2 de julho de 2014

RECALL DA GM NA COPA DO FELIPÃO

Nunca escondi de ninguém o meu repúdio pelo transitório. Tudo na vida é permanente, se não é o fato e a ação em si, as consequências as são. O transitório que eu ainda aceito é o "cíclico", aquele em que você vive neste momento com um início meio e fim retornando ao início em outra ocasião. Esse é o que eu chamo de transitório permanente, ou cíclico. Copa do mundo é um cíclico que eu entendo e aceito.
Ontem eu estava ouvindo no rádio a transmissão de Argentina e Suíça e durante a transmissão o narrador reforçou a minha crença no transitório e no permanente. A Suíça jogava com a clara motivação do transitório,  para ela, ganhar da Argentina era a conquista de uma vaga e classificação para as quartas de final. Era tão somente um único jogo, algo transitório. Para a Argentina, ganhar significava não tão somente seguir adiante, mas continuar na competição e dar continuidade ao transitório permanente, o ciclo que se iniciou nas eliminatórias da copa e que só terminará no último jogo da copa para eles. A Argentina, a Alemanha, a Holanda e a França estão ai vivendo um ciclo permanente de presença e conquista de mundiais e estão jogando pela conquista da copa. As vitórias e as classificações são consequências dessa motivação e visão.
Imaginem os senhores a seguinte situação:
Etapa final de jogo, últimos minutos da etapa final do segundo tempo  da prorrogação. O adversário rouba a bola no meio de campo e seu time está todo desarrumado na defesa. O que você faria? Eu lhe diria para parar o cara. Derrubar o carra, fazer  falta e se necessário for seja expulso, mas não deixe o Messi jogar. A Argentina de Lionel Messi visando fechar o ciclo desta copa joga pensando no permanente, na glória de vencer uma copa do mundo na casa de seu maior rival. Messi perdeu a bola no meio de campo ontem  e agarrou feio o jogador da Suiça. Não levou cartão e muito menos marcou-se falta.

Mas vocês devem estar se perguntando o que tem a ver isso com a GM e recall?
Os diretores da GM mundial, souberam de um problema no sistema de ignição e alimentação dos carros montados por ela e sentaram em cima do problema por 10 anos. Hoje a justiça americana condenou a GM a pagar uma multa de 35 milhões de dólares mais indenizações as vítimas. A imagem da companhia esta desgastada, manchada e irá perder uma fortuna de dinheiro somente por que seus diretores optaram por sentar sobre o problema.
Felipão literalmente sentou sobe o problema de meio de campo desta seleção ao não convocar um especialista de criação. O Brasil tem sérios problemas de ligação entre defesa e ataque mas não há peças de reposições. As peças que estão ai possuem os mesmos defeitos que as que estão já montadas no time.
Felipão deve colocar na cabeça de seus comandados que por serem limitados devem ser raçudos, devem ter gosto pelo permanente, pela glória que virá após vencer cada partida. Cada bola perdida é uma oportunidade para o adversário fazer o seu gol da vitória. Pare a jogada. Isso é básico para qualquer peladeiro. Seja expulso, mas se classifique  para a próxima partida.
Após 10 anos a GM fará os recalls com um saldo de 13 mortos somente no USA. Aqui no Brasil como fazer recall após a eliminação. 

terça-feira, 1 de julho de 2014

CRÔNICAS DO TORCEDOR - RAPIDINHAS

FELIPÃO 1
O técnico da seleção brasileira Luiz Felipe Scolari nunca foi de fato um grande técnico. Seu estilo está mais para um cara como o Joel Santana que gosta de fazer panelinha nos times onde treina. Felipão fez história ao criar a "família Scolari". Isso nada mais é do que um eufemismo a panelinha.
Felipão não é um bom técnico agora e nunca o foi no passado. É um cara corajoso, motivador, grosso e sobretudo sortudo. Sua última passagem pelo Palmeiras mostra que sem um grupo fechado 100% com ele, os bons resultados não acontecem. Como todo chefe de família não quer filhos boca dura e nem bandido, Felipão gosta é de garotos comportados aos quais ele terá que sair em defesa como todo pai zeloso o faria quando eles forem cobrados pelos resultados ruins que tendem a acontecer. Romário é boca dura e ficou de fora da copa, Ronaldinho e Robinho são "bandidos". 

FELIPÃO 2
A seleção da Alemanha depois de seus jogos, os titulares treinam no dia seguinte normalmente. Ontem eles começaram levando um sufoco da Argélia, os Argelinos corriam muito e a seleção alemã não conseguia acompanhar. Aguentou 90min de correria. Na prorrogação enquanto os Argelinos caiam de câimbras os alemães aceleraram o jogo. Me fez lembrar 70  no México. A seleção brasileira foi a melhor fisicamente preparada e sobrou em campo. 
A seleção brasileira do técnico Felipão após o jogo de sábado, teve o domingo de folga e na segunda só os reservas treinaram. 

COISAS DO FUTEBOL
A camisa ou o preparo físico vem fazendo a diferença nestas oitavas? Talvez sim, talvez não. O Brasil teve mais sorte do que juízo contra o Chile. A Holanda tal qual a Alemanha tomou um verdadeiro sufoco dos adversários e no final acabaram levando a melhor. A França que vem quietinha também não jogou nada e só não perdeu por que eu não vi o jogo ao vivo. Era só dar uma secadinha de nada e ela já estaria de malas prontas. Argentina joga pela primeira vez contra alguém que quer o resultado mais do que ela e que tem a cabeça no lugar.
Se a arbitragem não levar em conta a camisa da bi campeã Argentina como estão fazendo todos os árbitros até agora, vai dar Suíça.

Poderá também gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...